Single Blog Title

This is a single blog caption
7 jul

6 dicas cariocas para curtir o Rio como um atleta nas Olimpíadas

O Pão de Açúcar, o Cristo Redentor e o calçadão de Copacabana serão algumas das novas molduras para os Jogos Olímpicos 2016 e o Rio promete ferver agora entre agosto e setembro desse ano, com atletas do mundo todo, muitos turistas e jogos espalhados pelos quatro cantos da cidade. E a boa notícia é: estamos no inverno no Brasil! O frio beira os 20 graus à noite, e as praias ficam ainda mais agradáveis com o calor ameno durante o dia. Nada de chuvas, o inverno carioca é mais seco.

É, aliás, uma época perfeita para praticar esportes. E que tal entrar no clima das Olimpíadas Rio 2016 e aproveitar o cenário carioca, com toda essa natureza deslumbrante, para fazer umas atividades ao ar livre e também suar a camisa? Separamos 8 dicas de passeios para você conhecer melhor o Rio e se sentir um atleta olímpico – ou quase isso, vai! Para ajudar, indicamos o esforço necessário para cada um desses exercícios “olímpicos” entre baixo, médio ou alto. Prepara o print na tela aí, porque vem dica boa:

1 – Fazer Stand Up Paddle no Posto 6, em Copacabana

Foto: Hostelworld

Foto: Hostelworld

Para essa aqui, é recomendável acordar com disposição. A boa é chegar lá por volta de 6h30 ou 7h da manhã. Sim, tem que madrugar, mas eu te garanto: vai valer a pena. Além do visual incrível do dia começando e o sol brilhando no mar, é o momento em que as águas estão mais calminhas, a praia vazia e o sol mais fraco – o ideal para esse tipo de atividade. E o Posto 6 é uma localização boa justamente por estar próximo das pedras do Forte de Copacabana, onde o mar tem menos ondas (aliás, depois de terminar seu SUP, vale uma visitinha ao Forte, e se rolar uma fome pós exercício físico, aproveite a visita para tomar café da manhã ali na tradicional Confeitaria Colombo).

Mais de uma empresa presta esse serviço de Stand Up Paddle no Posto 6 de Copacabana e você pode alugar todo o equipamento que precisar. Indico os meninos do Surf Rio, que também oferecem uma aulinha com instruções para os remadores de primeira viagem – custa uns R$60 pelo período de uma hora. Remo às Olimpíadas Rio 2016!, ops, quer dizer, Rumo às Olimpíadas Rio 2016!

Nível de esforço olímpico: médio

2 – Fazer uma das inúmeras trilhas cariocas para ver o Rio de cima

Foto: Hostelworld

Foto: Hostelworld

Morro é o que não falta no Rio. Essa mistura de praias com montanhas é uma das coisas que mais me encantam na Cidade Maravilhosa. Aos atletas olímpicos iniciantes, recomendo a Trilha do Pão de Açúcar (que dá acesso gratuito a esse ponto turístico!). É tranquila e sempre tem crianças fazendo. Aos que querem algo mais puxado, uma boa é subir a Pedra Bonita (se tiver muita disposição, tente ir bem cedo para ver o sol nascendo lá em cima). Mas se seu nível de disposição é hard core, aí vão duas opções: Trilha da Pedra da Gávea e Trilha do Corcovado (essa tem início no Jardim Botânico).

O bom é que essas são atividades gratuitas, e o visual que se tem ao final da caminhada compensa qualquer sacrifício. Dá para se sentir um verdadeiro atleta das Olimpíadas 2016!

Nível de esforço olímpico: você escolhe

3 – Correr na orla num domingo

Foto: Raphael Silva

Foto: Raphael Silva

Ué, mas só pode correr domingo? Explico: você pode correr a qualquer dia e hora e onde quiser.  Mas aos domingos as pistas para carros entre a Praia de Flamengo e a do Leblon são fechadas para dar lugar às pessoas, então fica um clima ótimo de gente saudável praticando esportes. É só colocar um tênis, escolher por onde começar e sair pra curtir o visual.

Essa é mais uma atividade gratuita, onde você mesmo pode ditar o seu ritmo. Ainda dá pra dar um mergulho ao final do seu exercício, quase um biatlo das Olimpíadas (mas atenção, as praias do Flamengo e Botafogo não costumam ser próprias para banho, nesse caso prefira Copacabana, Ipanema ou Leblon).

Nível de esforço olímpico: você escolhe

4 – Alugar uma bike do Itaú pra dar um rolé

Foto: Paula Guedes

Foto: Paula Guedes

Essa é pra se sentir parte do cartão postal do Rio: já viram fotos das pessoas passeando em bicicletas laranjas pela orla carioca. Você também pode ser parte desse cenário pagando bem pouco – R$5 por dia ou R$10 por mês. Elas estão disponíveis diariamente das 6h às 22h em diversos pontos, como Centro, Copacabana, Ipanema, Leblon, Lagoa, Jardim Botânico, Gávea, Botafogo, Flamengo, Urca.

Para utilizar as “laranjinhas”, tem que se cadastrar no site do programa Mobilicidade e depois ligar para a central de atendimento identificada na estação em que você quer retirar sua bike.

Nível de esforço olímpico: baixo – mas se você tiver disposição para juntar as dicas 3 e 4 num mesmo dia, aí vira tipo um triatlo olímpico 😉

5 – Fazer aula de surf na Barra da Tijuca

Foto: Alex Paulo

Foto: Alex Paulo

Os surfistas, ou aspirantes, encontram no mar da Barra da Tijuca as ondas ideais para se jogar nesse esporte. E, se você ainda não sabe surfar, por toda a orla há muitas escolinhas preparadas especialmente para dar todo o suporte, desde treinamento e acompanhamento na água, até aluguel do equipamento.

Os iniciantes podem ter alguma dificuldade para ficar de pé na prancha no início, mas com persistência você consegue até fazer algumas brincadeirinhas. Vai por mim, os primeiros segundos surfando uma onda (tá, uma marolinha) sem cair são inesquecíveis. É o tipo de programa pra fugir do comum no Rio de Janeiro. Uma boa escolinha é a Pedro Muller, com aulas individuais e em grupo – uma hora de aula particular, por exemplo, sai a R$120.

Nível de esforço olímpico: alto

6 – Andar de pedalinho na Lagoa Rodrigo de Freitas

Foto: Lily Pestana

Foto: Lily Pestana

Depois de sugerir algo mais radical, voltamos nossa programação para aqueles que não fazem questão de transformar sua viagem de férias numa aventura. E que tal, então, um programinha bem relax, e até mesmo romântico, mas nem por isso parado? Minha sugestão é: alugue um pedalinho na Lagoa Rodrigo de Freitas (mais especificamente no Parque da Catacumba) e passeie sem pressa, curtindo mais esse cartão postal do Rio.

O melhor horário é no fim do dia, em especial durante o pôr do sol, pois, além de lindo, o clima estará mais fresco. O aluguel do pedalinho custa a partir de R$20 pelo período de meia hora. Depois de completar suas atividades olímpicas do dia, vale até parar em um dos vários quiosques à beira da lagoa para curtir a brisa do inverno carioca e tomar um drink.

Nível de esforço olímpico: baixo

 

Foto de Capa: SurfRio.

Via Hostelworld.

 

Deixe um comentário